Tenha um bom dia! Hoje é Quinta, dia 01 de Dezembro de 2022. Agradecemos sua visita !
ULTIMAS NOTICIAS
ANUNCIOS TOPO SITE
ANUNCIOS TOPO SITE
ANUNCIOS TOPO SITE
ANUNCIOS TOPO SITE
ANUNCIOS TOPO SITE
ANUNCIOS TOPO SITE
ANUNCIOS TOPO SITE
ANUNCIOS TOPO SITE
ANUNCIOS TOPO SITE
ANUNCIOS TOPO SITE
ANUNCIOS TOPO SITE
ANUNCIOS TOPO SITE

👉MATOU E O COLOCOU NO GONGELADOR😠🚓⚖🧐🚓🙄😳⚰🕯🚒🚑🚨Remédios e cordas: detalhes do caso da mulher que matou marido e congelou corpo

👉MATOU E O COLOCOU NO GONGELADOR😠🚓⚖🧐🚓🙄😳⚰🕯🚒🚑🚨Remédios e cordas: detalhes do caso da mulher que matou marido e congelou corpo
BANNERENCIMAMATERIA
BANNERENCIMAMATERIA
BANNERENCIMAMATERIA
BANNERENCIMAMATERIA

Paraná: Mulher mata marido e esconde corpo no freezer (Foto: Reprodução)

  • Mulher mata marido e coloca corpo no freezer
  • Ela deu detalhes sobre o crime à polícia
  • Defesa da mulher alega que ela sofria violência doméstica

A pedagoga Cláudia Tavares Hoeckler, de 40 anos, que confessou ter assassinado o marido e escondido o corpo dele no freezer de casa contou detalhes sobre o crime à Polícia Civil.

Ela ministrou três medicamentos para o motorista Valdemir Hoeckler, 52, dormir por volta das 23h de 14 de novembro.

Depois de perceber que o marido havia adormecido, ela disse ter amarrado pernas e mãos dele para imobilizá-lo.

“Ela lidou com gado de leite [antes de começar a trabalhar como pedagoga]. Então, sabia como manear uma vaca [técnica usada para imobilizar]. Ela o amarrou porque sabia que, se não conseguisse, ele poderia reagir e ela iria ser morta”, disse o delegado Gilmar Antônio Bonamigo, da comarca de Capinzal (SC), município vizinho de Lacerdópolis. Ele é o responsável pela investigação do caso.

Ainda segundo o portal UOL, Cláudia também contou que o homem tentou reagir enquanto o asfixiava com um saco plástico.

“Ele se desvencilhou. Mas ela conseguiu segurá-lo com uma mão. E, com a outra, pressionou a boca. Em pouco tempo, ele perdeu os sentidos e morreu”, detalhou o delegado, com base no relato da pedagoga.

À polícia, Claudia disse que teve dificuldade para esconder o corpo, e tomou a decisão de colocá-lo no freezer.

“Depois disso, ela fez o que deveria fazer, como se fosse seguir a vida normalmente. E partiu para aquele encontro que iria fazer com as professoras”, disse o delegado.

O crime aconteceu no dia 14 de novembro em Lacerdópolis, Santa Catarina. O corpo do homem foi encontrado dentro do freezer de casa somente cinco dias depois, na noite de sábado (19).

Com a prisão temporária decretada pela Justiça catarinense, ela afirmou que se sentia “mais livre do que nunca”.

Entenda o caso:

ADS
ADS
ADS
ADS
VISITAS NESTA MATERIA: 2944 E O TOTAL DE VISITAS NA MATERIA

*** Contagem Em Constante Atualização ! ***

O site portilho.online não se responsabiliza pelo conteúdo dos comentários, e reserva-se no direito de rejeitar comentários em desacordo com o propósito do site !

2 Comentarios

  1. Melhor site da história da região

    Se fosse aqui em Patrocínio eles davam um jeito de prender o defunto. Falar o que de uma cidade em que uma pessoa descarrega uma arma em outra e é considerado inocente.

    Reply
  2. Só observando

    Pior aqui eles pode tudo é os coletivo do homem só vive quebrando não tem horário uma falta de respeito e não deixa outro concorrente entrar.

    Reply

Enviar Comentario

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *